Pular para o conteúdo principal

Os vários traços desta vida.


O Menestrel de Shakespeare um extraordinário relato sobre as emoções do ser humano retrata em uma das suas partes essa relação entre viver para os outros ou viver para si mesmo ou não viver para nada... E aprende que, não importa o quanto você se importe, algumas pessoas simplesmente não se importam... E ponto final a algumas palavras acima que podemos simplesmente nos perguntar por quê? Podemos definir vários aspectos neste texto vamos lá.
A vida.
A este mundo.
A está sociedade.
A este ventre.
A morte que espreita.
Aos olhos dos cegos.
Dos que enxergam.
Dos que escutam.
Dos que se fazem de surdos.
Dos que caminham.
Dos que não andam.
Dos que falam.
Dos mudos.
Dos que esticam as mãos.
Dos coxos.
Daqueles que atiram as primeiras pedras. Daqueles que as recolhem.
São tantos que não cabem na minha alma em meus pensamentos que sorrateiramente entram em meus sonhos e os transformam em pesadelos. Esse sou eu esse e você, somos-nos que nos calamos ou somos calados.
Que fazemos de conta que é culpa de alguém que se senta em uma cadeira em um escritório amplo.
Que tem tantos porquês para acreditar em um novo amanha.
E que culpamos por que não temos coragem de admitir que a culpa e nossa e de todos de todos os credos de todas as raças de todos os filhos desta terra onde um dia se foi e a noite chegou somos realmente aquilo que sonhamos.
Somos seres desumanos. 

Viva a nossa incapacidade de sermos humanos.

Juvenal.

Postagens mais visitadas deste blog

Silencie as guerras !

As lagrimas devem parar. 

Esta obra entrará para os anais e menstruais de Sucupira e do país.

Antes da copa depois da copa .
“DUZENTOS E UM milhões em ação, pra frente Brasil do meu coração. [...] De repente é aquela corrente pra frente parece que todo o Brasil deu a mão. Todos unidos na mesma emoção, tudo é um só coração. Todos juntos vamos, pra frente Brasil, salve a seleção.”
Triste sina do brasileiro sem metro , sem ônibus, sem carro, sem bicicleta, sem jumento sem dinheiro no bolso, mas feliz finalmente ela chegou, será que Miguel Gustavo teria a mesma alegria gerada em 1970 para compor está letra. Só mudei a quantidade no inicio me perdoe Miguel. Geralmente gosto de futebol embora nunca tenha sido bom nisso sempre jogava uma pelada de domingo a domingo hoje me coloco como mero espectador sou Curintiano até morrer como fala o povo, mas vou assistir aos jogos da seleção e torcer para que este seja o ano da copa da cozinha da sala dos quartos o povo merece , mas depois da copa como serão usados os estádios o Itaquerão  nem pensar em demolição morro grudado as paredes mas c…

A sexta extinção.

Estudo desenvolvido por cientistas do México e EUA nota que no último século os vertebrados têm estado a desaparecer a um ritmo 114 vezes superior ao do passado.

Podemos concluir com elevado grau de certeza que as taxas de extinção modernas são excepcionalmente altas, que estão a aumentar e que sugerem que está em marcha uma extinção em massa”, dizem os autores da equipa liderada por Gerardo Ceballos, no estudo publicado na Science Advances. Esta será, lembram, a sexta extinção do gênero nos 4,5 mil milhões de anos de história do planeta Terra

“São incontestáveis as provas de que as taxas de extinção recentes não têm precedente na história do homem e são altamente incomuns na história da Terra”, afirmam os autores, acrescentando que a sua análise permite concluir que “a nossa sociedade global começou a destruir outras espécies a um ritmo acelerado, iniciando um episódio de extinção em massa nunca visto em 65 milhões de anos”.
Leia o link abaixo.
http://advances.sciencemag.org/content/1/5…