Pular para o conteúdo principal

A arte da tecnologia assistiva na vida das pessoas á inclusão é um direito não um favor!


Ontem poderíamos falar que se um dia a tecnologia fosse melhorada não haveria necessidade de seres humanos, palavras errôneas e pensamentos  contextualizados no época em que nascia novos e belos conhecimentos dou todo credito a esses pesquisadores e entusiastas de um novo mundo.
Mas ainda hoje vejo e sinto uma aversão as novas tecnologias como se estranhamente pudessem tomar o lugar do homem em um mundo em transformação.
"Não precisamos queimar todos os livros para destruirmos nossa civilização ocidental. Basta deixá-los sem serem lidos por uma geração."
Prof. Robert Hutchins
Ex-Reitor da Universidade de Chicago.
Então se você ainda acha que a maquina vai tomar conta deste mundo não sei dizer mas que por trás desta maquina sempre haverá o homem e sempre um pensamento com ele.
Acionar aqui  (trigger here)  ou desligar aperte aqui (turn off press here).
 Sou muito questionado por isso, mas me desculpe retornar a velha historia a algum tempo atrás não sabia nem ligar uma maquina de lavar roupas hoje sou surdo bilateral com anacusia em um dos ouvidos uso aparelhos auditivos sou universitário, pesquisador e um grande entusiasta da inclusão como forma de democracia e de melhoria da qualidade de vida como consegui isso foi através de estudo sim, mas também do uso das novas tecnologias, mas a duvidas ainda quanto a isso.
Pra mim não duvidas nenhuma a única duvida e se a sociedade aceita seu uso e a inclusão como forma de melhoria de vida . Postei um vídeo para dar uma visão melhor sobre o assunto.
  
A apologia a uma sociedade exclusivista está ai para todos verem as claras mas quando se trata de ajudar o ser humano capaz mas com limitações vejo claramente que muitos se esquivam com desculpas chulas e uma falacia tal que me sinto como um verdadeiro homem.

 Ser humano e ser solidário
Juvenal.

Postagens mais visitadas deste blog

Silencie as guerras !

As lagrimas devem parar. 

Esta obra entrará para os anais e menstruais de Sucupira e do país.

Antes da copa depois da copa .
“DUZENTOS E UM milhões em ação, pra frente Brasil do meu coração. [...] De repente é aquela corrente pra frente parece que todo o Brasil deu a mão. Todos unidos na mesma emoção, tudo é um só coração. Todos juntos vamos, pra frente Brasil, salve a seleção.”
Triste sina do brasileiro sem metro , sem ônibus, sem carro, sem bicicleta, sem jumento sem dinheiro no bolso, mas feliz finalmente ela chegou, será que Miguel Gustavo teria a mesma alegria gerada em 1970 para compor está letra. Só mudei a quantidade no inicio me perdoe Miguel. Geralmente gosto de futebol embora nunca tenha sido bom nisso sempre jogava uma pelada de domingo a domingo hoje me coloco como mero espectador sou Curintiano até morrer como fala o povo, mas vou assistir aos jogos da seleção e torcer para que este seja o ano da copa da cozinha da sala dos quartos o povo merece , mas depois da copa como serão usados os estádios o Itaquerão  nem pensar em demolição morro grudado as paredes mas c…

A sexta extinção.

Estudo desenvolvido por cientistas do México e EUA nota que no último século os vertebrados têm estado a desaparecer a um ritmo 114 vezes superior ao do passado.

Podemos concluir com elevado grau de certeza que as taxas de extinção modernas são excepcionalmente altas, que estão a aumentar e que sugerem que está em marcha uma extinção em massa”, dizem os autores da equipa liderada por Gerardo Ceballos, no estudo publicado na Science Advances. Esta será, lembram, a sexta extinção do gênero nos 4,5 mil milhões de anos de história do planeta Terra

“São incontestáveis as provas de que as taxas de extinção recentes não têm precedente na história do homem e são altamente incomuns na história da Terra”, afirmam os autores, acrescentando que a sua análise permite concluir que “a nossa sociedade global começou a destruir outras espécies a um ritmo acelerado, iniciando um episódio de extinção em massa nunca visto em 65 milhões de anos”.
Leia o link abaixo.
http://advances.sciencemag.org/content/1/5…