Novas do HEMOPE

Manifesto Contra o Fechamento do Centro de Transplante de Medula Óssea do HEMOPE / CTMO




Manifesto Contra o Fechamento do Centro de Transplante de Medula Óssea do HEMOPE / CTMO

ATMO - Associação dos Amigos do Transplante de Medula Óssea entidade civil devidamente constituída e reconhecida pelo Governo do Estado de Pernambuco e pelo Município do Recife como entidade de utilidade publica, toma conhecimento da decisão do Governo do Estado de Pernambuco em fechar o Centro de Transplante de Medula Óssea do Hemope, e tendo tido acesso as razões para tal fechamento, vem a sociedade pernambucana externar o seu inconformismo com tal decisão, visto que a nota oficial expedida pelo Governo do Estadual para fundamentar o fechamento do CTMO não contem informações corretas sobre a real situação do transplante de medula no Estado, trazendo informações equivocadas e tendenciosas, visto que o objetivo maior da referida nota é tentar passar para a sociedade a noção de que o CTMO representa um estorvo para as finanças da saúde de Pernambuco, entretanto os números postados na indigitada nota oficial por se só não se sustentam, face a aberração aritmética ali contida, visto ser impossível se admitir que um transplante de medula óssea possa causar aos cofres estaduais a cifra de R$700.000,00 (setecentos mil reais) A informação é absurda, mas é dessa forma que o Governo Estadual pretende obter o apoio da sociedade para impor MORTE SÚBITA AO CTMO do HEMOPE.

O Governo Estadual ao tentar decretar a morte súbita do CTMO, mas não consegue disfarçar o real motivo para dito desmonte, na verdade sem ter uma política definitiva de transplante de medula óssea para o Estado, o Governo tenta de toda as formas PRIVATIZAR A SAÚDE do Estado, sem dá opção a sua população, os exemplos são grandes hospitais e UPAS, construídas com recursos públicos, mas administradas por O.S ( Organizações Sociais). Essa política perversa de privatização é um retrocesso, pois além de não proporcionar o fortalecimento dos servidores de saúde, ainda delega ao particular uma das mais importantes atribuições do poder publico que é a promoção da saúde. Não nos esqueçamos que a iniciativa privada visa o lucro, e essa é a sua única razão de existência, o lucro, diferentemente do Estado que constitucionalmente é responsável pela promoção da saúde em todas as formas.

A morte súbita do CTMO anunciada pelo Governo Estadual pode ser considerada um erro médico, pois ao longo de quase 10 anos o CTMO do HEMOPE, como centro publico de transplante do norte e nordeste, é referência nesse setor e hoje apesar de sucateado pelas ausências de políticas especificas para transplante de medula óssea, possui uma equipe especializada de profissionais (43), que agindo de forma comprometida tornou o CTMO uma referencia no seguimento.

Não esqueçamos, que a cerca de 2 anos o Governo do Estadual anunciou o aumento do número de leitos no Estado, que hoje tem um déficit de 21 (vinte e um) leitos. O anuncio de aumento de leito foi reafirmado em abril deste ano com muito alarde e pirotecnia, mas de forma contraditória, o governo optou em decretar a morte do CTMO, sem dá qualquer opção ao paciente que já esta na lista de espera aguardando o seu transplante. E qual será o destino desse paciente? A MORTE.

ATMO, através de suas atribuições estatutárias promoveu ao longo de sua existência, 6 anos, o incremento do número de doadores de medula óssea, mas esse esforço é neutralizado a partir do momento que o Estado não dá a sua conta partida no oferecimento de leitos para transplante.

A sociedade pernambucana não aceita a decisão do Governo do Estado em decretar a MORTE SÚBITA DO CTMO HEMOPE, e vem a publico pedir o engajamento de todos os seguimentos sociais, população, poder legislativo, poder judiciário e sociedade civil organizada para que ao invés do fechamento do CTMO HEMOPE, o Governo do estado estabeleça política clara e diretrizes objetivas para a questão do transplante de medula óssea em Pernambuco.

Atenciosamente

Gilberto Nascimento de Castro

Presidente da ATMO


ATMO - Associação dos Amigos do Transplante de Medula Óssea entidade civil devidamente constituída e reconhecida pelo Governo do Estado de Pernambuco e pelo Município do Recife como entidade de utilidade publica, toma conhecimento da decisão do Governo do Estado de Pernambuco em fechar o Centro de Transplante de Medula Óssea do Hemope, e tendo tido acesso as razões para tal fechamento, vem a sociedade pernambucana externar o seu inconformismo com tal decisão, visto que a nota oficial expedida pelo Governo do Estadual para fundamentar o fechamento do CTMO não contem informações corretas sobre a real situação do transplante de medula no Estado, trazendo informações equivocadas e tendenciosas, visto que o objetivo maior da referida nota é tentar passar para a sociedade a noção de que o CTMO representa um estorvo para as finanças da saúde de Pernambuco, entretanto os números postados na indigitada nota oficial por se só não se sustentam, face a aberração aritmética ali contida, visto ser impossível se admitir que um transplante de medula óssea possa causar aos cofres estaduais a cifra de R$700.000,00 (setecentos mil reais) A informação é absurda, mas é dessa forma que o Governo Estadual pretende obter o apoio da sociedade para impor MORTE SÚBITA AO CTMO do HEMOPE.

O Governo Estadual ao tentar decretar a morte súbita do CTMO, mas não consegue disfarçar o real motivo para dito desmonte, na verdade sem ter uma política definitiva de transplante de medula óssea para o Estado, o Governo tenta de toda as formas PRIVATIZAR A SAÚDE do Estado, sem dá opção a sua população, os exemplos são grandes hospitais e UPAS, construídas com recursos públicos, mas administradas por O.S ( Organizações Sociais). Essa política perversa de privatização, é um retrocesso, pois além de não proporcionar o fortalecimento dos servidores de saúde, ainda delega ao particular uma das mais importantes atribuições do poder publico que é a promoção da saúde. Não nos esqueçamos que a iniciativa privada visa o lucro, e essa é a sua única razão de existência, o lucro, diferentemente do Estado que constitucionalmente é responsável pela promoção da saúde em todas as formas.

A morte súbita do CTMO anunciada pelo Governo Estadual, pode ser considerada um erro médico, pois ao longo de quase 10 anos o CTMO do HEMOPE, como centro publico de transplante do norte e nordeste, é referência nesse setor e hoje apesar de sucateado pelas ausências de políticas especificas para transplante de medula óssea, possui uma equipe especializada de profissionais (43), que agindo de forma comprometida tornou o CTMO uma referencia no seguimento.

Não esqueçamos, que a cerca de 2 anos o Governo do Estadual anunciou o aumento do número de leitos no Estado, que hoje tem um déficit de 21 (vinte e um) leitos. O anuncio de aumento de leito foi reafirmado em abril deste ano com muito alarde e pirotecnia, mas de forma contraditória, o governo optou em decretar a morte do CTMO, sem dá qualquer opção ao paciente que já esta na lista de espera aguardando o seu transplante. E qual será o destino desse paciente? A MORTE.


ATMO, através de suas atribuições estatutárias promoveu ao longo de sua existência, 6 anos, o incremento do número de doadores de medula óssea, mas esse esforço é neutralizado a partir do momento que o Estado não dá a sua conta partida no oferecimento de leitos para transplante.
A sociedade pernambucana não aceita a decisão do Governo do Estado em decretar a MORTE SÚBITA DO CTMO HEMOPE, e vem a publico pedir o engajamento de todos os seguimentos sociais, população, poder legislativo, poder judiciário e sociedade civil organizada para que ao invés do fechamento do CTMO HEMOPE, o Governo do estado estabeleça política clara e diretrizes objetivas para a questão do transplante de medula óssea em Pernambuco.



Atenciosamente,



Gilberto Nascimento de Castro
Presidente da ATMO
Petição Publica: http://www.peticaopublica.com.br/?pi=P2011N16356



Seja um Doador



Passos para você ser um doador:



1. Você precisa ter entre 18 e 55 anos de idade e estar em bom estado geral de saúde (não ter doença infecciosa ou incapacitante).
2. Onde doar: é possível se cadastrar como doador voluntário de medula óssea nos Hemocentros de cada Estado ou em campanhas de doação de medula.

3. Como é feita a doação: será retirada por sua veia uma pequena quantidade de sangue (5ml) e preenchida uma ficha com informações pessoais (identidade, endereço, telefone).

Seu sangue será tipificado por exame de histocompatibilidade (HLA), que é um teste de laboratório para identificar suas características genéticas que podem influenciar no transplante. Seu tipo de HLA será incluído no cadastro.

Seus dados serão cruzados com os dos pacientes que precisam de transplante de medula óssea constantemente. Se você for compatível com algum paciente, outros exames de sangue serão necessários.

Se a compatibilidade for confirmada, você será consultado para confirmar que deseja realizar a doação. Seu atual estado de saúde será avaliado.

A doação é um procedimento que se faz em centro cirúrgico, sob anestesia peridural ou geral, (doador escolhe) e requer internação por um mínimo de 24 horas. Nos primeiros três dias após a doação pode haver desconforto localizado, de leve a moderado, que pode ser amenizado com o uso de analgésicos e compressa de gelo. Normalmente, os doadores retornam às suas atividades habituais na primeira semana.

Importante: um doador de medula óssea deve manter seu cadastro atualizado sempre que possível. Caso haja alguma mudança, a pessoa deve entrar em contato com o REDOME: (21) 3970-4100 / redome@inca.gov.br Este endereço de e-mail está protegido contra SpamBots. Você precisa ter o JavaScript habilitado para vê-lo. .

O Transplante de Medula Óssea é a única esperança de cura para muitos portadores de leucemias e outras doenças do sangue.

Postagens mais visitadas